30/09/2020 – Casos de dengue no Brasil em 2020 se aproximam de um milhão

30/09/2020 – Casos de dengue no Brasil em 2020 se aproximam de um milhão

Até a 36ª Semana Epidemiológica (de 29 de dezembro de 2019 a 05 de setembro de 2020), foram registrados mais de 928 mil casos prováveis de dengue em todo o País, com taxa de incidência de 441,7 casos a cada 100 mil habitantes. As informações são parte do Boletim Epidemiológico divulgado recentemente pelo Ministério da Saúde.

Neste contexto, o Centro-Oeste apresentou as maiores taxas de incidência por dengue em todo o País, com 1.164,4 casos a cada 100 mil habitantes. Seguido pelas regiões Sul, com 928,3 casos/100 mil habitantes; Sudeste, 339,4 casos/100 mil habitantes; Nordeste, 246,2 casos por 100 mil habitantes; e o Norte, 106,9 casos/100 mil habitantes.

É importante reforçar que os estados do Acre, Bahia, São Paulo, Paraná, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás e Distrito Federal destacam-se por apresentarem incidências acima da média do restante do Brasil, deixando as autoridades e profissionais da Saúde em estado de atenção.

Até o momento de divulgação do Boletim, referente à 36ª Semana Epidemiológica, 756 casos de dengue grave e 8.679 casos de dengue com sinais de alarme foram notificados. Outros 469 casos seguem em investigação. Em relação ao número de óbitos causados pela dengue, foram confirmados 484, sendo 394 deles (81,4%) por critério laboratorial e 90 (18,6%) por critério clínico epidemiológico. Outros 231 óbitos seguem sendo investigados.

Há uma média de concentração de óbitos nos estados do Paraná, São Paulo, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso. O número de mortes é maior na faixa etária acima de 60 anos, com 57,4% dos óbitos confirmados por dengue, equivalente a 278 vítimas fatais. A distribuição da arbovirose é semelhante entre os sexos.

Outras arboviroses

As indicações sobre o número de casos de Chikungunya até a 36ª Semana Epidemiológica mostram que foram notificadas novas 69.702 infecções pelo vírus, com uma taxa de incidência de 33,2 casos/100 mil habitantes.

Destacam-se as regiões Nordeste e Sudeste, com 84,3 casos/100 habitantes e 22,2 casos/100 mil habitantes, respectivamente. O estado da Bahia concentra 50,2% de casos prováveis por Chikungunya em todo o País, enquanto o Espírito Santo possui uma média de 19% desses registros.

De acordo com as informações obtidas pelo Ministério da Saúde, foram confirmados 14 óbitos por Chikungunya através de critério laboratorial. As mortes estão distribuídas entre os estados da Bahia, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Maranhão, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e Mato Grosso. Até o momento, outros 23 óbitos estão sendo investigados.

Já os dados referentes ao Zika Vírus correspondem à análise do período entre 29 de dezembro de 2019 e 8 de agosto de 2020, com 6.220 casos prováveis e incidência de 3 casos a cada 100 mil habitante.

O Nordeste foi a região que apresentou a maior taxa de incidência da arbovirose, 7,8 casos a cada 100 mil habitantes, em um cenário em que a Bahia é o estado com a maior concentração no número de casos de Zika no País, equivalente a 49%.

Em seguida, estão as regiões Centro-Oeste (3,4 casos/100 mil habitantes) e Norte (2 casos/100 mil habitantes). Durante o período de análise, o Brasil não teve nenhum óbito por Zika Vírus confirmado.

 

Fonte: APM-Associação Paulista de Medicina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *