Menino de 12 anos morre após ser picado por escorpião em ciclovia de Casa Branca

Menino de 12 anos morre após ser picado por escorpião em ciclovia de Casa Branca

Um menino de 12 anos morreu, nesta terça-feira (29), após ser picado por um escorpião na ciclovia de Casa Branca, no último domingo (27). Vitor Daniel Spindola Borges morreu na UTI do hospital São Francisco, em Sertãozinho, onde estava internado desde a madrugada de segunda-feira (28).

Segundo relato do padrasto, Alexandre Rovani, o menino estava voltando para a casa passando pela ciclovia quando foi picado no dedo do pé, por volta das 19h de domingo. A família conseguiu capturar o animal e seguiu com a criança para o posto de pronto atendimento (PPA), mas no local não havia o soro antiescorpiônico.

“Disseram que ele deveria ser transferido para São José do Rio Pardo para tomar o soro”, contou Rovani.

Segundo a Prefeitura de Casa Branca, o médico acompanhou o estado clínico do paciente e, devido ao seu agravamento, às 22h, ele deixou o PPA e foi transferido para São José do Rio Pardo, que fica a 32 km de distância, por ser a referência para picadas de animais peçonhentos, determinada pela Diretoria Regional de Saúde (DRS).

A Secretaria de Estado da Saúde informou que os critérios para definição de pontos estratégicos do soro antiescorpiônico são feitos a partir de estudos clínicos e demandas de cada região, além da distância de até 40 minutos entre o ponto de atendimento inicial e o ponto estratégico para atendimento especializado e aplicação do soro.

Caso agravou

O garoto foi atendido na Santa Casa de Rio Pardo e, segundo o padrasto tomou o soro por volta das 22h30, mas pouco tempo depois, a família foi informado de que Vitor precisaria ser transferido para um hospital que tivesse Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

A transferência, segundo ele, aconteceu por volta das 3h30. Vitor foi levado para o Hospital São Francisco de Sertãozinho (SP), a 150 quilômetros de São José do Rio Pardo, e internado na UTI onde morreu na tarde desta terça-feira.

O G1 entrou em contato com a assessoria dos dois hospitais para saber como foi o atendimento prestado a Vitor, mas não obteve retorno até a publicação dessa reportagem.

A Prefeitura de Casa Branca emitiu uma nota lamentando o falecimento do menino e dizendo que todos os protocolos médicos foram realizados de forma correta.

Veja nota da prefeitura na íntegra

A Prefeitura de Casa Branca vem a público lamentar o falecimento de V. D. S. B., de 12 anos, vítima de picada de escorpião, hoje, 29.

A Diretoria Municipal de Saúde informa que todos os protocolos médicos foram realizados de forma correta e responsável.

A criança deu entrada no PPA (Posto de Pronto Atendimento), no dia 27 de outubro, às 19h41, com picada de escorpião no pé direito e tontura. De imediato, o paciente teve atendimento médico classificado como urgente, onde foi seguido todo o protocolo de picada de animais peçonhentos referentes à sua idade.

O médico acompanhou o seu estado clínico e, devido ao agravamento, às 22h, o paciente deixou o PPA e foi transferido para São José do Rio Pardo, por ser a referência para picadas de animais peçonhentos.

O paciente foi transferido para a Santa Casa de São José do Rio Pardo por ser o ponto estratégico para Imunobiológicos Antivenenos, estabelecido pelo Departamento Regional de Saúde. Portanto, não se trata de Casa Branca não ter o soro e sim de uma pactuação realizada pela regional de saúde, que é tomada diante de uma série de fatores técnicos, tais como municípios com maiores números de acidentes e/ou melhor localizados para acesso aos municípios vizinhos. Em nossa região, as cidades que possuem o soro são Mococa e São José do Rio Pardo, sendo esta última cidade a nossa referência.

A Prefeitura informa que tem feito limpeza de terrenos, praças e prédios públicos, a fim de coibir a proliferação do escorpião e de outros tipos de animais nocivos à saúde humana. Os agentes de saúde também trabalham ininterruptamente com ações de conscientização dos moradores para que façam limpeza regular de terrenos.

A Prefeitura reforça que o caso foi uma fatalidade e prestará todo o apoio necessário aos familiares da criança.

 

Fonte: Pragas e Eventos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *